NOTÍCIAS


Júri absolve acusada de jogar carro em cima de moto e matar marido e amante, em Álvares Machado



Sessão de julgamento ocorreu nesta segunda-feira (13), no Fórum de Presidente Prudente (SP). Vítimas estavam em uma motocicleta, que foi arrastada pelo carro por cerca de 22 metros Dimas Gonçalves Xavier Junior/Cedida Por maioria dos votos, um júri popular realizado nesta segunda-feira (13), no Fórum da Comarca de Presidente Prudente (SP), absolveu a ré Pâmela Barboza Pinheiro da Silva, acusada de matar o marido e a suposta amante ao jogar o carro que dirigia contra a motocicleta ocupada pelo casal, na região central de Álvares Machado (SP), em 25 de dezembro de 2016. Na decisão, os jurados desclassificaram o delito em relação à vítima Tiago Paulo Pinheiro da Silva, “reconhecendo a tese defensiva de homicídio culposo na direção de veículo automotor”. Já em relação à vítima Flavia Moura de Santana, por maioria dos votos, absolveram a ré. Com isso, a juíza Marcela Papa Paes alterou a tipificação do crime para homicídio culposo, nos termos do artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), fixando uma pena de dois anos de reclusão para a acusada. No entanto, diante da prescrição, pelo tempo máximo de quatro anos, julgou improcedente a ação penal, decretando a extinção da punibilidade da ré. VEJA TAMBÉM: Por ciúmes, mulher joga carro em cima de moto e mata marido e ‘rival’ Portal g1 Presidente Prudente e Região completa 10 anos com mais de 185 milhões de visualizações; veja lista das 100 reportagens líderes de acessos Carro só parou após bater em um muro Dimas Gonçalves Xavier Junior O caso O casal estava em uma motocicleta que foi atingida e arrastada por mais de 20 metros por um carro, que era conduzido pela esposa do homem. O caso, motivado por ciúmes, foi registrado como duplo homicídio doloso. Após a colisão traseira, as vítimas foram lançadas ao chão e arrastadas até chocarem-se contra o muro de um imóvel, localizado na esquina das ruas Monsenhor Nakamura e Antônio Marçapal. Ao chegarem ao local, os policiais verificaram que as vítimas já estavam sem vida e a Polícia Científica não verificou qualquer “sinal de frenagem do carro para que evitasse a colisão ou diminuísse a força e/ou arrasto do motociclo”. A mulher admitiu que realmente “perseguiu seu marido com o carro até colidir com a motocicleta”, já que ele estava tendo um caso com a outra vítima. Na ocasião, a motorista foi presa em flagrante. Após arrastar a moto, mulher bateu o carro em um muro Arquivo/TV FronteiraVeja mais notícias em g1 Presidente Prudente e Região.

Fonte: G1


13/11/2023 – 95 FM Dracena

COMPARTILHE

SEGUE A @95FMDRACENA

(18) 3822-2220


Av. Expedicionários, 1025, Centro
Cep: 17.900-000 – Dracena/SP

Todos os direitos reservados.  

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO