NOTÍCIAS


Em situação de emergência, Iepê confirma primeira morte provocada pela dengue



A vítima foi uma mulher, de 63 anos, que possuía comorbidade de cardiopatia. Total de casos positivos da doença já passa de 300 e ainda existem outros dois óbitos em investigação. No mês passado, o prefeito Murilo Nóbrega Campos (União Brasil) decretou situação de emergência em saúde pública em decorrência da epidemia de dengue em Iepê (SP) Prefeitura de Iepê/AI A Vigilância Epidemiológica Municipal (VEM) confirmou nesta segunda-feira (6) a primeira morte causada pela dengue em Iepê (SP) em 2023. A vítima foi uma mulher, de 63 anos, que possuía comorbidade de cardiopatia e teve o óbito confirmado por clínico epidemiológico. Ainda existem outras duas mortes suspeitas de dengue em investigação na cidade. Já foram confirmados até o momento 303 casos positivos de dengue em Iepê, de um total de 804 notificações. Foram descartados 107 exames e outros 394 ainda estão no aguardo dos resultados. No mês passado, o prefeito Murilo Nóbrega Campos (União Brasil) decretou situação de emergência em saúde pública em decorrência da epidemia de dengue em Iepê. Foram levados em consideração a circulação autóctone do vírus no município, o número de casos, o aumento do agravamento e a quantidade de hospitalizações e de ocorrências graves da doença, além da necessidade de intervenção imediata por parte da administração local, a fim de garantir a manutenção da ordem social, bem como a saúde pública dos moradores. Entre as medidas impostas pelo decreto municipal, estão: a autorização para a contratação de pessoal por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público; a dispensa de licitação, de forma excepcional e em caráter emergencial, para a contratação e a aquisição de bens e serviços estritamente necessários para atender ao objetivo do decreto; e a autorização do ingresso forçado em imóveis públicos e particulares, no caso de situação de abandono ou de ausência de pessoa que possa permitir o acesso de agentes públicos de endemias e de saúde, quando se mostre essencial para a contenção da doença. No caso de recusa do proprietário ou possuidor, desde que acompanhados da autoridade policial ou da atividade delegada, os agentes de fiscalização do município poderão adentrar o imóvel para a erradicação dos focos do mosquito Aedes aegypti, que é o transmissor da dengue. O decreto também autoriza a Secretaria Municipal de Saúde e os demais órgãos da administração pública local a adotar todas as medidas que se fizerem necessárias ao restabelecimento da situação de normalidade, inclusive, a requisitar pessoal e equipamentos de outras áreas para, em conjunto, desenvolver ações de eliminação dos focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti. Além disso, o prefeito ainda determinou a participação efetiva dos agentes comunitários de saúde no combate ao Aedes aegypti. Por fim, o decreto notificou todos os donos, compromissários ou possuidores de imóveis particulares localizados no perímetro urbano do município para a limpeza das calçadas e dos terrenos desprovidos de edificações ou com construções inacabadas ou abandonadas e a remoção de todo tipo de resíduo e capinação, de modo a não propiciar criadouro, sob pena de multa.Veja mais notícias em g1 Presidente Prudente e Região.

Fonte: G1


06/03/2023 – 95 FM Dracena

COMPARTILHE

SEGUE A @95FMDRACENA

(18) 3822-2220


Av. Expedicionários, 1025, Centro
Cep: 17.900-000 – Dracena/SP

Todos os direitos reservados.  

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO