NOTÍCIAS


Canil do 8º Baep auxilia na apreensão de mais de 3,7 toneladas de entorpecentes em 2022 na região de Presidente Prudente



Nesta semana, 19 cães passaram por treinamento em parceria com o canil policial de Araçatuba (SP). Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira O Canil do 8º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) auxiliou, ao longo de 2022, na apreensão de 3,779 toneladas de entorpecentes, 54 prisões em flagrante e 260 apoios, na região de Presidente Prudente (SP). Nas últimas segunda-feira (13) e terça-feira (14), 18 cães do 8° Baep e um cão da Penitenciária de Caiuá (SP) participaram de um treinamento em parceria com o Canil do 12° Baep, de Araçatuba (SP). Além disso, o treino contou com 23 policiais militares e três policiais penais. Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira Segundo a soldado Lígia Berbert, o treinamento “é realizado a partir da predisposição que o cão apresenta, seja ela no trabalho olfativo ou do cão de polícia” e pode ser dividido em três classificações: Cão de faro: é o trabalho realizado pelo cão na busca olfativa por um odor específico; Cão de polícia: é o cão de guarda e proteção utilizado no patrulhamento ostensivo/preventivo e na contenção e varredura em estabelecimentos prisionais; Cão de busca de pessoas: é o trabalho realizado através da apresentação do odor da pessoa a ser localizada, seja infrator ou pessoas perdidas. Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira A soldado também explicou ao g1 como são as substâncias sintéticas utilizadas nos treinamentos. “Nosso canil trabalha com essências produzidas em laboratório que simulam o odor puro da substância a ser localizada. A partir daí, temos a certeza do que apresentamos aos nossos cães”, explicou Lígia. Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira Já sobre a dificuldade na identificação dos odores quando comparados com os entorpecentes, a soldado afirma que não existe uma maior dificuldade para os cães. “Não, porque as essências são feitas a partir do princípio ativo dos entorpecentes. Por exemplo, a maconha é utilizado o THC, a cocaína é utilizado o cloridrato de coca e, consequentemente, é identificado todos os derivados de cada substância”, finalizou Lígia ao g1. Canil do 8º BAEP, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira Canil do 8º Baep, de Presidente Prudente (SP), realiza treinamento Betto Lopes/TV Fronteira Canil do 12º Baep, de Araçatuba (SP), participa de treinamento Betto Lopes/TV FronteiraVeja mais notícias em g1 Presidente Prudente e Região.

Fonte: G1


16/02/2023 – 95 FM Dracena

COMPARTILHE

SEGUE A @95FMDRACENA

(18) 3822-2220


Av. Expedicionários, 1025, Centro
Cep: 17.900-000 – Dracena/SP

Todos os direitos reservados.  

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO